top of page
  • Foto do escritorEnsaio Crítico

Por que o Japão não está falando sobre o filme Oppenheimer?

Na última quinta-feira, o novo filme de Christopher Nolan chegou aos cinemas de várias partes do mundo - mas não no Japão

Se você acessar os maiores sites de notícias do Japão hoje, não vai encontrar qualquer discussão ou menção em torno de ‘Oppenheimer’, filme que ficciona a criação da bomba atômica pelo físico americano J. Robert Oppenheimer. Isso é porque o filme não estreou por lá. É comum que as estreias de Hollywood em países orientais não sejam simultâneas com a estratégia americana, e no caso deste a Universal ainda não deu qualquer previsão. Em resposta a Variety, o estúdio disse que “os planos não foram finalizados em todos os mercados”.


O tema, claro, é espinhoso a sociedade japonesa que foi atingida em 1945 com as duas bombas, cujos primeiros passos foram organizados pelo cientista do título. Mesmo que o filme faça de tudo para encarar seu protagonista com uma neutralidade moral, a forma como sua contradição é abraçada e, de certa forma, recheada de piedade, pode causar interpretações imprevisíveis.


O mercado japonês, curiosamente, costuma receber bem os filmes de Christopher Nolan. Em matéria de 2020, o Japan Times relata que "Tenet" triunfou na bilheteria do país, mesmo que todos ainda estivessem vivendo a realidade da pandemia. A falta de previsão para a estreia de "Oppenheimer" no Japão levantou suspeitas de que o filme tenha sido banido, mas não é o que a distribuidora dar a entender quando é consultada. Uma matéria do portal The Conversation traz um dado curioso sobre como "filmes de guerra" costumam receber atenção do público do país, além dos próprios cineastas japoneses que não evitam o tema. O artigo acredita que "De todas as nações do mundo que proíbem filmes, o Japão certamente deve estar perto do final da lista".


Comentários


bottom of page