• Ensaio Crítico

Brasileira denuncia plágio em ‘1899’, série na Netflix dos criadores de ‘Dark’

NOTÍCIA Mary Cagnin acusa a série de copiar ideias de seu quadrinho "Black Silence", lançado em 2016 no Brasil e divulgado na Europa um ano depois

Mary Cagnin acusa a série "1899" de copiar ideias de seu quadrinho "Black Silence".

Autora do quadrinho Black Silence (2016), a brasileira Mary Cagnin denunciou em sua conta do Twitter que foi vítima de plágio por parte da equipe criativa de 1899, série dos criadores de Dark (2017-2020) que estreou nesta semana na Netflix.


Ela conta que recebeu um convite da embaixada brasileira para apresentar seu trabalho na Feira do Livro de Gotemburgo na Suécia, em 2017, evento influente no mercado editorial europeu e dito como o mais importante dos países nórdicos. Mary diz ter participado de três painéis do evento e ter entregue cópias físicas do seu quadrinho com tradução em inglês. Essa matéria da PublishNews publicada em outubro de 2017 confirma sua presença no evento, bem como as fotos que ela publicou no Twitter.


"Já chorei horrores. Meu sonho sempre foi ser reconhecida pela meu trabalho nacionalmente e internacionalmente. E ver uma coisa dessas acontecendo realmente parte meu coração. Sabemos que no Brasil temos poucas oportunidades para mostrar nosso trabalho e ser reconhecido por ele", conta.



Dentre as semelhanças, ela pontua elementos visuais e até mesmo narrativos, apesar das tramas serem diferentes. "A pirâmide negra. As mortes dentro do navio/nave. A tripulação multinacional. As coisas aparentemente estranhas e sem explicação. Os símbolos nos olhos e quando eles aparecem. As escritas em códigos. As vozes chamando por eles. Detalhes sutis da trama, como dramas pessoais dos personagens, incluindo as mortes misteriosas".


Ela revela estar reunindo as provas para decidir quais procedimentos tomar. O quadrinho Black Silence pode ser lido na íntegra no seu site. A primeira temporada de 1899 está disponível na Netflix desde quinta-feira com oito episódios.