• Arthur Gadelha

A Primeira 'Ghost Story' de David Lowery

Acessando o passado, o primeiro curta-metragem de David Lowery é uma verdadeira história de fantasma

Bastidores da filmagem de "A Ghost Story"

A indústria do terror nos ensinou algumas imagens do que seria um fantasma, e o conceito mais "infantil" é tão filosófico quanto a ideia do retorno de alguém do pós vida. A figura do fantasma sob um lençol é a exemplificação do mistério em sua essência: alguém que não vemos, mas sabemos que está ali. Sobre uma série dessas questões, o diretor e roteirista David Lowery fez um dos mais carinhosos e amedrontadores filmes do ano, A Ghost Story, lançado nos cinemas brasileiros como Sombras da Vida. No filme, Casey Affleck é um fantasma que perambula debaixo de um lençol pelo tempo.


Lowery é um fã declarado de sua experiência enquanto "imaginador", e se isso não está muito evidente em Amor Fora de Lei, é lindo que esteja no filme sobre um fantasma que contempla o próprio tempo na espera de alguém ou algo para partir. Há uns dois meses, Lowery publicou no seu blog pessoal seu primeiro contato com audiovisual, um curta-metragem de dois minutos feito em VHS, quando tinha sete anos em 1988. Sua primeira "história de fantasma" era uma imaginação do que seria Poltergeist, de Spielberg, lançado em 1982, que confessa não ter visto na época.


A montagem linear, a voz do próprio David em tela, o roteiro bagunçado, os gritos de horror - a criança por trás da câmera quer manter tudo como foi imaginado. Ao assisti-lo hoje, lembrando dos lentos choques de A Ghost Story, penso nas minhas memórias de criança, procurando a origem de todas essas coisas que ainda quero ser.


Confira o relato de David no blog

@2021 - Ensaio Crítico | Propriedade de Arthur Gadelha | Cinema Brasileiro | Crítica de Cinema