• Arthur Gadelha

25ª Mostra Tiradentes: cinema cearense em destaque

Conheça os filmes dessa edição


NOTÍCIA Comemorando 25 anos, tradicional mostra tem entre seus destaques a programação de longas e curtas cearenses

Coração Sozinho, de Leon Reis

Como principal evento de discussão sobre novas gerações do cinema brasileiro, a Mostra de Cinema de Tiradentes chega em sua 25ª edição de volta à experiência presencial após uma edição edição on-line devido as limitações da pandemia. Como um dos polos em grande engajamento nos últimos 10 anos, o cinema cearense nunca ficou de fora do movimento; em 2020, foram dois longas-metragens do Ceará exibidos na Mostra Aurora: Cabeça de Nêgo, de Déo Cardoso; e O Canto dos Ossos, de Jorge Polo e Petrus de Bairros, esse último sendo laureado como grande vencedor. Em 2022, o estado será representado por um longa e sete curtas-metragens nas mostras Aurora, Foco, Panorama e Mostrinha. Confira abaixo, com informações da assessoria de imprensa:


+ Crítica: Cabeça de Nêgo (2020): não há felicidade na utopia


A Mostra Aurora é dedicada a filmes de realizadores com até três longas-metragens e apresenta produções inéditas em circuitos de festivais. Para esta que é a principal competitiva, foi selecionado o longa-metragem A Colônia, dirigido por Virgínia Pinho e Mozart Freire. O documentário mostra o bairro Colônia em Maracanaú, Ceará, que foi fundado na década de 40 como uma zona de confinamento compulsório para portadores de hanseníase. Atualmente, os novos moradores e os descendentes dos primeiros pacientes convivem em um bairro carente a espera da urbanização que nunca se cumpriu.


+ Janaína Overdrive (2016): Cinema de um futuro que não merecemos


Para a Mostra Foco foram selecionadas três produções do Ceará. Em Prosopopeia, de Andreia Pires, uma trupe de artistas arrancou-se de seu buraco e pôs-se de pé. Como num sonho, ensaiaram alguns passos e seguiram, com rimas e riscos… felizes. Em Na estrada sem fim há lampejos de esplendor, de Liv Costa e Sunny Maia, uma vez, elu disse: quando fui embora de mim, adeus era tudo o que tinha para dizer. Nessa viagem, talvez não exista uma chegada. Só um caminho infinito. E no filme Rumo ao Desvio, de Linga Acácio, ao caminhar por entre as águas da transposição do Rio São Francisco abre-se a chance de (re)parar os desvios aos quais também somos submetides de forma compulsória.


Prosopopeia, de Andreia Pires

Na Mostra Panorama serão exibidos três filmes cearenses. No curta Coração Sozinho, de Leon Reis, Ntima está na sua última viagem pelo tempo, já Oreny está na sua segunda missão. O coração ainda está perdido no espaço-tempo. A casa está fechada. Já Bicho Solto, é uma coprodução São Paulo-Ceará dirigida por Dayse Barreto. No curta, Dayse acredita que o milagre, assim como o amor, é um fenômeno raro, mas que existe em todos os lugares. Depois de terminar um relacionamento, contrair Covid e mudar de casa no meio da pandemia, só um acontecimento inexplicável pelas leis naturais poderá salvá-la.


+ Entrevista com Leon Reis: a saga dos "Cartuchos" que leva o cinema negro do Ceará a Holanda


O documentário Curió, dirigido por Priscila Smiths e P.H.Diaz, nasceu da teimosia de um grupo de moradores. Quase todos flagelados, tentando escapar da seca, ou apenas procurando um lugar para morar. Os moradores, desde os mais velhos, até as novas gerações que encontraram no bairro uma nova forma de começar contam essa história. A atual geografia do bairro é investigada. Novos lugares que se criaram, novos mutirões. Seus espaços, pessoas e culturas. Esse corpo-fronteira que se forma e se estende para outros lugares.


Curió, de Priscila Smiths e P.H.Diaz

Para a Mostrinha, recorte da Mostra Tiradentes que traz filmes para crianças e toda a família, foi selecionado Rua Dinorá, de Natália Maia e Samuel Brasileiro. Dinorá é uma menina de 10 anos que mora na Rua 749, no bairro Conjunto Ceará, em Fortaleza. Faixa branca no karatê, seu grande sonho é vencer o campeonato interestadual. Para que as atletas possam viajar, elas precisam angariar fundos para o time, por meio da venda de rifas para familiares e vizinhos. Ao descobrir que suas colegas moram em ruas com o nome de personalidades históricas, Dinorá empreende, em seu jornada para a venda das rifas, uma investigação sobre o nome de sua própria rua e acaba descobrindo a força coletiva na construção dos espaços habitados.


Em formato híbrido, alguns filmes serão exibidos tanto presencialmente quanto on-line. No site do festival, você pode conferir todos os horários da programação. Com curadoria de Camila Vieira, Tatiana Carvalho Costa e Felipe André Silva (curtas); e Francis Vogner dos Reis e Lila Foster (longas), a 25ª Mostra de Tiradentes acontecerá entre 21 a 29 de janeiro de 2022.

 

Atualização (14/01/22): o evento passará a ser em formato 100% online. Saiba mais