• Ensaio Crítico

📰 A Última Floresta: carreira de festivais em 2021

Único filme brasileiro exibido na mostra Panorama do Festival de Berlim também foi escolhido para encerrar o É Tudo Verdade

A Última Floresta, longa-metragem dirigido por Luiz Bolognesi (“Ex-Pajé”, “Uma História de Amor e Fúria”), foi selecionado para dois dos maiores festivais de cinema da América do Norte e Europa. O filme estará na Grand Angle Competition, do Visions du Réel (15-29 de abril), em Nyon, na Suíça, e participa da mostra World Showcase, no Hot Docs (29 de abril a 9 de maio), em Toronto, no Canadá. Ambos os festivais acontecem de forma online. No evento suíço, a data de exibição será divulgada em breve. No canadense, o filme fica disponível durante 48 horas a partir de 29 de abril. "A Última Floresta" teve sua première mundial em março, no Festival de Berlim, sendo o único representante brasileiro na mostra Panorama. Antes da estreia na América do Norte, o longa, que tem roteiro de Bolognesi e do xamã Davi Kopenawa Yanomami, terá a primeira exibição no Brasil dia 18 de abril, no encerramento do festival É Tudo Verdade. “A Última Floresta” retrata o cotidiano de um grupo Yanomami isolado, que vive em um território ao norte do Brasil e ao sul da Venezuela há mais de mil anos. O xamã Davi  Kopenawa Yanomami busca proteger as tradições de sua comunidade e contá-las para o homem branco que, segundo ele, nunca os viu, nem os ouviu. Enquanto Kopenawa tenta manter vivos os espíritos da floresta, ele e os demais indígenas lutam para que a lei seja cumprida e os invasores do garimpo retirados do território legalmente demarcado. Mais de 10 mil garimpeiros ilegais, que invadiram o local em 2020, derrubam a floresta, envenenam os rios e espalham Covid e outras doenças entre os indígenas. O filme é produzido pela Gullane  e Buriti Filmes  em associação com a  Hutukara  Associação  Yanomami e o Instituto Socioambiental  (ISA)  e tem distribuição da Gullane. A estreia comercial no Brasil está prevista para o segundo semestre deste ano.